O CAMINHO DO EVANGELHO É A PACIFICAÇÃO

Mas Deus chamou-nos para a paz”
(1 Coríntios 7:15)
Eu gosto muito desse texto de Paulo ao falar aos Coríntios sobre questões referentes ao casamento que aplico a todas as áreas da vida. Se não houver um consenso em andar juntos, como haverá paz? É preciso o mesmo pensamento, sentimento para se compartilhar uma vida, um projeto, nossa existência é breve e única para se desgastar com relações que sugam nossa energia. A falha da comunicação está relacionada ao padrão de mental de cada um, nesse processo acredito que o evangelho nos dá princípios através do amor para compreendermos ao outro em respeito e reverencia. Sim! O Eterno nos chamou para paz, e nesse sentido acredito que a paz está relacionada à decisão de estar em paz em primeiro lugar consigo mesmo, assim sendo jamais vou me submeter há uma relação que não me traga paz.

O evangelho me transforma a nova criatura, me torno filho da luz, para que a partir desse significado meus caminhos se tornam lúcidos. Toda relação envolve fé, isso mesmo, fé que vai dar certo e se não der é preciso entender que assim é a vida. É nesse sentido que acredito, o caminho do evangelho é nos levar a paz interior, não é só uma decisão consigo mesmo, mas uma escolha de entrega plena de todo nosso caminho aos cuidados de Deus. É lançar sobre ele tudo e descansar no seu cuidado. A partir dessa decisão trilhar nosso caminho com bom senso, sabedoria, responsabilidade e acima de tudo fazer tudo de bom grado e amor.

O caminho do bem é feito quando nossa consciência discerne o evangelho e a partir desse entendimento o bem se possibilita. Para que esse estado seja viável se faz necessário uma pré-disposição em mudar, essa mudança por sua se inicia na leitura e estudo dos evangelhos, mas não é só isso mudanças alteram nosso padrão mental, que por sua influencia em nosso caminho alterando rotinas. A conversão genuína me abre para o mundo, nos desperta a desenvolver toda capacidade interior, o evangelho não faz religioso, me faz parecido com Cristo na medida em que discirno tudo e todos a partir do amor. Somos todos herdeiros da esperança eterna nele o autor da nossa fé, de glória em glória a estatura do varão perfeito.

Nele somos chamados e constrangidos a andar em paz, e nessa paz transformando realidades através do amor e pela exposição sempre que preciso dos feitos no evangelho. Tudo que é bom vem de Deus, Deus é bom e uma vez sendo bom guia seus filhos em segurança mesmo andando pelo vale da sombra da morte. A paz e o amor estão intrinsecamente ligados a Deus, Deus é a fonte inesgotável. Quem ama está em paz, quem está em paz ama. Que Deus nos amadurece no amor pacificando nosso interior diariamente. No filho fomos alcançados para reconciliação, comunhão em paz. Na cruz está o significado exemplificado de amor aos homens. 

Em Deus está a graça que nos resgatou pelo filho. Em cada um está o dom da vida, a sopro divino que pelo Espírito nos habilitou a repartir dons, por intermédio de nós seus filhos a esperança e a paz é realidade pelo simples fato que uma vez nele, nos tornamos fonte inesgotável de paz. Em todo tempo lembre-se: Mas Deus chamou-nos para a paz”

Que Deus em Jesus o Cristo, nos preserve nessa paz que excede a todo entendimento.

Cezar Camargo
Setembro – Primavera/2016          

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Páscoa, a Cruz e a Redenção

Individuação, Alta Performance & Evangelho

RITMO CIRCADIANO - O CICLO BIOLÓGICO DOS SERES VIVOS