A CEGUEIRA HISTÉRICA DOS SENTIDOS


“Nenhum médico é capaz de curar a cegueira da mente”.
(Textos Judaicos)

O sistema sensorial é a parte do sistema nervoso responsável pelo processamento de informações sensoriais. Os mais conhecidos são cinco: a visão, a audição, o tato, o paladar e o olfato, mas é consenso na comunidade científica que os seres humanos possuem muito mais. Segundo Jessica Cerretani, cientista medica em Harvard não há, porém, acordo na quantidade, pois isso depende da definição não muito sólida do que constitui um sentido. Dentre estes sentidos quero destacar a visão. Mas no sentido mais amplo, a consciência. A ausência deste sentido, a visão coloca qualquer plano em rota de fracasso. A consciência precisa estar clareada de bons fluidos. A mente se cura com lucidez. E lucidez se obtém com claridade de idéias e de sentido. A mente se cura com conhecimento que gera entendimento.

É sabido que a “agnosia Visual Associativa” é quando o cérebro percebe perfeitamente as formas de um objeto, mas não consegue atribuir um significado à sua imagem. Por exemplo, uma bola de futebol é apenas uma esfera. Enquanto que a “prosopagnosia” consegue reconhecer objetos, mas é incapaz de diferenciar rostos. Isso porque a face é processada em áreas específicas do cérebro, lesionada nos prosopagnósticos. Assim também é na existência, quando não se consegue mais dar sentido é quando os significados não são mais perceptíveis, a vida fica em preto e branco.   

Há também as figuras sem sentido... O tipo de agnosia visual de P. era a associativa. Nesses casos, o cérebro "enxerga" perfeitamente o objeto, mas não consegue encontrar o seu significado. É como se perdesse o acesso a uma biblioteca com informações sobre imagens. Não dá para dar nome às coisas nem agrupá-las por categoria. Há pessoas que compreendem, enxergam bem a situação a sua volta, mas não encontram sentido. Tem a “simultanagnosia ventral” a pessoa consegue ver vários objetos ao mesmo tempo, mas só consegue atribuir significado a um de cada vez. Sua principal dificuldade é na hora de ler, embora consiga escrever bem. Neste ponto a dificuldade é perceber os ambientes, identificar a realidade, enxergar o obvio e principalmente enxergar a si mesmo. Nossa mente é complexa e exige cuidados e atenção.    

Estudando mais sobre o cérebro que é em verdade uma máquina impressionante, um verdadeiro painel de controle do nosso corpo. Tudo o que fazemos – e como fazemos – está relacionado ao bom funcionamento das funções cerebrais. Como todo bom sistema, porém, o cérebro também costuma dar ‘tilt’. Uma das panes mais conhecidas é a chamada “cegueira histérica”.  Segundo dados do sit. medicinanet ela faz parte das disfunções que os médicos entendem como transtornos de conversão - distúrbios de somatização em que o orgânico está saudável e a moléstia surge de fatores psicológicos. Há casos de pacientes mudos e até paralíticos.

O termo somatização foi criado em 1943 por Stekel para definir um “distúrbio corporal que surge como expressão de uma neurose profundamente assentada, uma doença do inconsciente”. Diversas doenças clínicas, muitas vezes com etiologia clara ou conhecida apenas em parte, têm sido estudadas no que concerne à influência de fatores psicológicos como estresse, ansiedade, estado de humor, traços de personalidade e de comportamento na gênese ou exacerbação dos seus sintomas. Tais afecções têm sido historicamente denominadas doenças psicossomáticas, por uma clara associação de vulnerabilidade para o aparecimento ou piora da doença na concomitância de estressores psicológicos ou psicossociais.

A característica essencial da somatização é um padrão de múltiplas queixas somáticas recorrentes e clinicamente significativas, sendo muito mais comum nas mulheres do que nos homens. Já o uso do termo conversão surge pela primeira vez nos trabalhos de Sigmund Freud e Josef Breuer em 1894, para designar um sintoma motor em substituição a uma ideia reprimida. Atualmente, define-se conversão como a presença de um ou mais sintomas ou déficits que afetam a função motora voluntária ou sensorial, sugerindo a presença de uma doença neurológica ou de outra condição médica que não pode ser comprovada objetivamente. “É o caso do olho que vê, mas não enxerga”. “Olhos têm, mas não vêem”. (Salmos 115:5)

No século 19, quando a ‘cegueira histérica’ foi catalogada, um paciente que estava cego de um olho há mais de dez anos afirmava sentir dores no local. Após inúmeros testes clínicos, o olho parecia completamente saudável do ponto de vista fisiológico, mas não funcionava. Quando tudo caminhava para a retirada do olho cego, o médico, sem avisar, decidiu fazer um último teste e tapou o campo de visão do olho bom, de modo que o paciente pudesse enxergar apenas com o olho ruim. Para surpresa geral, o paciente continuava enxergando normalmente. Lembrando que segundo a Psicanálise histeria é uma neurose complexa caracterizada pela instabilidade emocional. Os conflitos interiores manifestam-se em sintomas físicos, como por exemplo, paralisia, cegueira, surdez, etc. Pessoas histéricas freqüentemente perdem o autocontrole devido a um pânico extremo. Foi intensamente estudada por Charcot e Freud.

Em verdade a histeria dos sentidos é quando a consciência perde a direção, deixar de funcionar segundo uma ordem de princípios e valores. As manifestações são catastróficas. Às vezes é preciso olhar por uma nova preceptiva, retornar ao portão seguro, a cura está em restaurar o equilíbrio emocional. Procurar um profissional da área não é vergonhoso, há bons psicanalista, psicólogos que com certeza lhe ajudarão a restabelecer os sentidos. É importante frisar de fato que a cegueira histérica não tem relação alguma com a síndrome NOHL, que faz com que a pessoa atingida pare de enxergar de forma inesperada. Estamos vivenciando uma geração cega de entendimento, doentia, contaminados pelo desinteresse por conhecimento. Uma geração zumbificada, que vive sem percepção, discernimento, bom senso e coerência. A consciência cega perde a capacidade de discernir. A mente quando exposta a um padrão fora do bom senso de realidade fica cauterizada formatada e condicionada a agir segundo uma estrutura de significados deturpada que ignora a lógica e a ética.

“A pior cegueira é a dos que não sabem que estão cegos”. (Clarice Lispector)

Assim está a presente geração, cega. Não tem mais visão mental, vivem em uma ideologia onde o que importa é o agora, o presente. Onde tudo pode, as conseqüências é o que menos importa. Estar sem direção é de fato uma cegueira dos sentidos. A busca desenfreada cega de fato o censo de percepção. A ausência da realidade é típica deste tempo. Uma geração linda, inteligente, tecnológica, mas sem alma. Que adianta ver se não enxerga? Do que adianta enxergar e não ter capacidade de dar significados? Pois então! Penso que estamos caminhando para era da individualização. Uma era onde se materializara o desejo de muitos, que em resume é, cada um no seu quadrado, que cuide de si - mesmo, afinal eu já tenho os meus.

“Apenas quando somos instruídos pela realidade é que podemos mudá-la”. (Bertolt Brecht)

É preciso andar pisando o chão da realidade, a fantasia é um chão sem estruturas, não há alicerces para construir coisa alguma. O caminho para se manter lúcido é cuidar de si mesmo. Estamos em um tempo que exige atenção e cuidado. Idéias podem ser contestadas, mas há verdades que precisam ser defendidas e elas devem ser coerentes com a realidade. A mentira é cega, a verdade, no entanto é clara. A verdade ilumina o entendimento dando luz a realidade. A realidade é construída a partir do pensamento. A instrução conduz o tolo a sabedoria e a clareza dos sentidos. É na clareza da existência que se vive o chão da realidade.   

Cezar Camargo
Inverno – Setembro/2015     

Comentários

  1. Muito bom. Fica claro que o reorganização da vida passa por um reorganização da visão da alma. Eu uso essa temática com o termo "percepção geral', Todas as percepções são nada mais que uma visão ,ora aleatória ,ora específica da formação da alma. A capacidade de se orientar de maneira a dominar a visão geral da alma determina toda capacidade de resolução da vida em todos seus aspectos. Sem exceção. Opino assim. A incapacidade extrema de se ter uma percepção avançada da vida gera o caos psicológico que somatiza todo tipo de traumas. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Muito lisonjeado por este comentário me caro nobre broder de longe. Gostei da opinião!!! Abraços!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Páscoa, a Cruz e a Redenção

Individuação, Alta Performance & Evangelho

RITMO CIRCADIANO - O CICLO BIOLÓGICO DOS SERES VIVOS