Pular para o conteúdo principal

CRENÇAS DETERMINAM SEU PADRÃO

Imagem relacionada
Na última live (Instagram) falamos de “Maturidade, Crescimento e Análise”. Abordamos sobre a maturidade, o quão é essencial no desenvolvimento da psique, é administrar as próprias emoções e compreender o estado emocional dos outros é o principal meio para desenvolver relacionamentos duradouros, já no crescimento pessoal, é o caminho para o desenvolvimento da competências e habilidades, e assim também administrar decisões de forma clara, consciente. No crescimento está as ferramentas para potencializar a capacidade que vamos descobrindo na medida que vamos nos conhecendo. E quanto a análise é a decomposição do pensamento em partes, a fim de uma melhor compreensão. Este processo auxilia do desenvolvimento do ser. É individuação sendo compreendida na medida que tudo vai sendo descortinado na análise.

Nestes três processos, as crenças identificadas. Sendo elas positivas, o crescimento será saudável. Sendo limitantes, terás ferramentas para quebrar todas essas barreiras que te impede de se desenvolver de forma assertiva. Segundo o Dicionário Aurélio, as crenças são opiniões adotadas com fé e convicção, e os valores são as normas, princípios ou padrões sociais aceitos ou mantidos por indivíduo, classe, sociedade; etc. todo esse processo vai sendo construído desde a primeira infância, por parte dos pais, com o método de educação ensinada com base nas suas próprias experiências de vida. A partir do entendimento que percebemos a realidade através de como interpretamos nossas experiências, podemos investigar através do Autoconhecimento, e nos conscientizar que um comportamento negativo tem por trás, um condicionamento mental gravado, e reforçado a cada vez que nós confirmamos a crença como verdadeira.

Assim Consciência das bases de nossas crenças é o primeiro passo para a transformação. É entendimento para reconfigurar, é ir além da informação. É a aceitação coerente e franca a respeito da sua própria humanidade. A informação é a reunião ou o conjunto de dados e conhecimentos organizados, que possam constituir referências sobre um determinado acontecimento, fato ou fenômeno. Um conjunto de dados tem como objetivo reduzir a incerteza ou aprofundar os conhecimentos sobre um assunto de interesse a partir do que já se possui. Esse tema no meu entendimento é de suma importância, gosto dessa matéria, por isso utilizo sempre em meus cursos e palestras, sobre a importância nos processos de aprendizado. Segundo o dicionário de significados, a consciência é o termo que significa conhecimento, percepção, honestidade. Também pode revelar a noção dos estímulos à volta de um indivíduo que confirmam a sua existência. Está relacionada com o sentido de moralidade e de dever, pois é a noção das próprias ações ou sentimentos internos no momento em que essas ações são executadas. A consciência pode ser relativa a uma experiência, problemas, experiências ou situações. Por exemplo: Ele estava completamente viciado, mas não tinha consciência disso. O conceito de consciência está intimamente relacionado com termos como “eu", existência", "pessoa", revelando uma conexão existente entre consciência e a consciência moral. Em várias situações, pode ser o oposto da autoconsciência, onde o "eu" é o objeto de reflexão e da consciência moral.

Ao longo do tempo a filosofia abordou a consciência em duas vertentes: consciência intencional ou não intencional. Segundo Edmund Husserl (fundador da fenomenologia), a consciência é uma atividade direcionada para alguma coisa da qual há consciência. A não intencional consiste a um mero reflexo da realidade que é apresentada. Segundo Descartes, pensar e pensar que pensamos são coisas iguais (Penso, logo existo). Kant fez a distinção entre a consciência empírica, que faz parte do universo dos fenômenos e a consciência transcendental, que capacita a associação de todo o conhecimento com a consciência empírica. Hegel aborda a consciência como um crescimento dialético, que atinge um nível transcendente, alcançando a sua superação. Faz também a distinção entre consciência empírica, racional e teórica. É também importante referir que a filosofia contemporânea dá muita importância à vertente de ato da consciência, dando-lhe uma conotação mais funcional.

Por fim, o desenvolvimento da percepção é fruto do desenvolvimento da consciência, para que nossas crenças sejam reconfiguradas. E assim nos tornamos produtivos conscientes e assertivos. Esse processo nos leva a transcender, do verbo transitivo e intransitivo que significa se elevar acima do vulgar, se superar, ir além de ou ultrapassar alguma coisa. Na psicologia, transcender está relacionado com pensamentos e emoções, e é a capacidade do ser humano de transpor certas barreiras, se tornando superior a algumas circunstâncias, também pode ser visto como o ato de se diferenciar de outros indivíduos de forma positiva, atingindo um patamar superior em um determinado trabalho ou contexto. Na Filosofia, transcender é superar os limites do conhecimento e o que é transcendental está ligado à razão pura, que precede toda a experiência. Na filosofia representa o antônimo de imanência. De acordo com a metafísica, a transcendência pressupõe a existência de realidade diferente em termos qualitativos e independente do mundo natural e da consciência humana.

Assim este conceito de transcendência remete para uma atividade cognitiva que consiste na transição do princípio do conhecimento para uma conclusão exterior, ou seja, transcender é essencial para o que processo de individuação seja validado. A individuação é um processo psicológico de integração dos opostos, incluindo o consciente e o inconsciente, mantendo, no entanto, a sua autonomia relativa. Assim descreve: “a individuação como o processo central do desenvolvimento humano”, é nesse ponto que se entende a importância do desenvolvimento continuo para uma vida intensa, mas leve respeitando as limitações. Jung uso o termo “Individuação”, para o ponto em que uma pessoa é finalmente capaz de integrar os opostos dentro de si – suas mentes consciente e inconsciente. Em miúdos individuação significa; “se tornar o que sempre foi em potencial, para cumprir seu objetivo original”. A individuação é um processo necessário de desenvolvimento da totalidade e, portanto, de movimento em direção a uma maior liberdade.

Cezar Camargo | CBPSI N° 01085
Psicanálise | Coach Life | Mentoria | DH

Saiba mais sobre mim nesse link:

Comentários

As mais acessadas

RITMO CIRCADIANO - O CICLO BIOLÓGICO DOS SERES VIVOS

O Sofrimento no Trabalho e as Psicopatologias

Maturidade, Crescimento e Análise