SUA ALEGRIA, MINHA ALEGRIA

Alegrai-vos com os que se alegram
(Paulo aos Romanos)   

No original seria; “regozijando-se com pessoas que regozijam” Aqui se expressa a simpatia da graça cristã. Quanto mais cheio de Cristo mais agiremos simpaticamente. Se alegrar, estar em regozijo com o outro é ter derrotado dentro si todo orgulho, todo sentimento egoísta da vida. Se alegrar requer uma atitude altruísta.          

Estes dias um colega italiano muito feliz me disse que estava sendo transferido para os Estados Unidos a trabalho, sua alegria era contagiante. Então olhei firme para ele e disse: “Estou feliz com você, por esta conquista, que Deus confirme seu caminho naquela terra”. Eu percebi que esta minha declaração lhe tocou muito, ele ficou me olhando sem saber o que responder. Assim com um sorriso nos despedimos. Sua expressão me fez refletir o resto do dia. Em geral se ouve: “Fico feliz por você”.

Se alegrar com os que se alegram! Pois bem precisamos aprender a celebrar as conquistas do outro, seja quem for nosso espírito deve ser de alegria. Observo que muitas vezes muitos se incomodam com as conquistas dos colegas, do amigo, companheiro de trabalho ou até mesmo do esposo (a). Acredite já ouvi creio que você também declarações como: “Nossa eu é que era pra ter ganhado”, “Essa promoção era pra ser minha, mas como não sou puxa saco”, “Porque ele e não eu”. Entre outras...

O dramaturgo Grego me fez refletir mais ainda com sua declaração que está em sintonia com pedido de Paulo aos Romanos. “Raras são as pessoas que têm caráter suficiente para se alegrar com os sucessos de um amigo sem ter uma sombra de inveja”. (Ésquilo) “O caráter de um amigo se comprava na sua alegria em ver seu amigo radiante de alegria”.  

A inveja é um sentimento de tristeza perante o que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem. A inveja pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física ou intelectual. 

A inveja é um veneno mortal que destrói o portador aos poucos, apodrece alma lentamente. Se alegrar com outro ser pela sua conquista é um estado de espírito de maturidade, e acima de tudo espiritual. Dentre muitas coisas Paulo exorta os Romanos a se alegrar com os que se alegram. A alegria é um sentimento maravilhoso que provem do portador que desfruta paz de espírito. 

O interior invejoso não pode sentir alegria, o interior invejoso é incapaz de celebrar uma festa. A maturidade nos permite viver sabiamente. Uma amizade é validada nos dias de incerteza para que nos dias de alegria se faça banquete. A celebração só pode ser aproveitada na integra por amigos.

O reino de Deus gera em nós um processo que se desenvolve dia após dia em direção a plenitude em Deus. Esta metamorfose nos liberta dos sentimentos que deturpa nossa essência. O evangelho injeta frutos dignos de arrependimento, frutos que comprovam nossa conversão diária, nossa comunhão, nossa espiritualidade. 

A atitude de regozijar-se, alegrar-se, festejar, celebrar é de todo aquele que foi inundado pela graça do Cristo ressuscitado. A vida é maravilhosa e precisa ser vivida intensamente tanto nos dias de incerteza como nos dias de certeza. Na incerteza a fé é provada, na certeza se comprova nossa fé que no final tudo vai ficar bem.

Alegremos com nossos semelhantes neste dia chamado hoje, está é a vontade de Deus nosso pai. Regozijemos sempre, dando graças em tudo e por todos está é a vontade de Deus nosso pai.  

Nele o autor da minha fé, a quem sou cativo do seu amor,   

Cezar Camargo
Outono – Junho/2015

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Páscoa, a Cruz e a Redenção

Individuação, Alta Performance & Evangelho

RITMO CIRCADIANO - O CICLO BIOLÓGICO DOS SERES VIVOS