ESTAMOS DE PASSAGEM


Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. (Colossenses 1:16)

Os vivos são formas transitória da vida imutável. A essência de Deus está em todas as existências vivas. Os vivos nascem, vivem e morrem. A vida não nasce e nem morre, mas vive sem nascimento e nem morte. (Hondem)

Partindo deste dois pensamentos Deus está e sempre esteve infinitamente acima de qualquer estrutura por nós definida como representação de Deus. Penso! Está passagem é breve e cada um constrói seu caminho a partir de suas percepções e interpretações, uns realizam o caminho do bem, porém outros o caminho do mal. É evidente que cada ser tem sua definição pessoal do que é mal e bom. 

Em Cristo Deus se materializa sua misericórdia sobre nós, pelo fato de que nossa existência nessa matéria é transitória. O entendimento da cruz tem suas implicações me leva a conversão, a consciência entra em processo de expansão. Na medida em que o ouço, eu entendo, compreendo passo a discernir sua palavra, que aniquila o poder da morte que era sobre mim. 

Neste processo meu desenvolvimento é diário, de glória em glória até a estatura do varão perfeito. Na medida em que redireciono, cresço em graça e virtude. Bem! Que virtudes são essas? O Ap. Paulo explica bem o que Jesus disse antes da ascender aos céus, ele exemplifica perfeitamente em uma de suas cartas, vejamos:  

Jesus disse lhes: Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (Atos 1:8)  

É impossível ser embaixador do Reino sem estas virtudes, do latim: virtus; em grego: ἀρετή) é uma qualidade moral particular. Virtude é uma disposição estável em ordem a praticar o bem; revela mais do que uma simples característica ou uma aptidão para uma determinada ação boa, trata-se de uma verdadeira inclinação. Virtudes são todos os hábitos constantes que levam o homem para o bem, quer como indivíduo, quer como espécie, quer pessoalmente, quer coletivamente. A virtude, no mais alto grau, é o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o homem de bem. 

Bem! Paulo disse-lhes: Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. (Gálatas 5:22)  

O homem segundo Deus nascido do Espírito se desenvolve pelo amor, que produz gozo, que leva a paz interior, gerando longanimidade, injeta benignidade em minhas ações, que me presentei bondade, que dá parâmetro a minha fé, me deixa pacificado, manso, equilíbrio e bom senso. Todo este processo valida a entrada de Deus por Cristo em mim, para que através de mim ele se manifeste. 

Isso é maravilhoso Deus em expansão através de mim para ele. É através do barro que ele o Eterno creador de tudo e de todos decidiu se apresentar.  Bem disse Aristóteles, “é uma disposição adquirida de fazer o bem, e elas se aperfeiçoam com o hábito”. Este processo pelo hábito e a exposição ao evangelho transforma monstros em homens santos e amáveis. Essa disposição é possibilitada pelo constrangimento do amor de Deus agindo em mim diariamente. 

São estes frutos, virtudes que me permite em Deus realizar coisa maiores. Quando jesus disse que faríamos coisas maiores eu entendo que é ele através de mim e nada mais. É Deus em Cristo pela inspiração do Espirito Santo em direção aos homens em todo tempo por intermédio de todo aquele que indo pelo caminho decidiu ser carta viva, evangelho andante em ação a tempo e fora de tempo. 

Em Deus nos tornamos pequenos Cristos para glória dele. Sendo perfeitamente habilitados pelos seus dons. Todas as coisa são nele, logo ele não cabe em nenhuma estrutura, também não pode ser explicado, mas compreendemos pala fé.

A fé não se adquiri por ideias e compressão intelectual, mas somente se entregando a ele integralmente, em rendição total para que a graça seu favor imerecido encontre espaço para expandir e realizar a obra interna, que se materializa na medida em que os processo vão sendo entendidos pela consciência. 

A cruz selou a obra, os três anos e meio o Cristo em Jesus se utilizou de todas as formas de comunicação, fez uso das tradições e costumes do seu tempo para exemplificar sua missão, seu amor.

Deus em Cristo, Cristo em nós, e Cristo a partir de nós. Que assim seja nosso caminho, como recipiente puro e hábil para conduzir os planos de Deus onde quer que seja. 

Lembre-se! Nossa passagem é breve, que essa breve passagem seja maravilhosa, um espetáculo a serviço do bem.   

Cezar Camargo
Outono – Março/2015   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Páscoa, a Cruz e a Redenção

Individuação, Alta Performance & Evangelho

RITMO CIRCADIANO - O CICLO BIOLÓGICO DOS SERES VIVOS