ESPÍRITO, ALMA E CORPO NO CREADOR

E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso “espírito”, e “alma”, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. (1 Tessalonicenses 5:23)

Etimologia: A palavra espírito tem sua raiz etimológica do Latim "spiritus", significando "respiração" ou "sopro", mas também pode estar se referindo a "coragem", "vigor" e finalmente, fazer referência a sua raiz no idioma PIE *(s)peis- (“soprar”). Na Vulgata, a palavra em Latim é traduzida a partir do grego "pneuma" (πνευμα), (em Hebreu (רוח) ruah), e está em oposição ao termo anima, traduzido por "psykhē".


A distinção entre a alma e o espírito somente ocorreu com a atual terminologia judaico-cristã (ex. Grego. "psykhe" vs. "pneuma", Latim "anima" vs. "spiritus", Hebreu "ruach" vs. "neshama", "nephesh" ou ainda "neshama" da raíz "NSHM", respiração.) A declaração do apóstolo Paulo nas Escrituras de que o espírito, alma e corpo devem ser conservados íntegros´, expressa claramente que alma e espírito são coisas distintas. (1 Tessalonicenses 5:23). A palavra espírito costuma ser usada em dois contextos, um metafísico e outro metafórico.

Fomos criados para glória do creador, alma e espírito dependem exclusivamente até porque só o Eterno a pode separar. A ausência de Deus mata aos poucos o corpo, nele essa junção corpo, alma e espírito o materializam através de cada ser. A soberba o orgulho são destrutivos na relação com o arquiteto. Soberba é o sentimento caracterizado pela pretensão de superioridade sobre as demais pessoas, levando a manifestações ostensivas de arrogância, por vezes sem fundamento algum em fatos ou variáveis reais. O termo provém do latim superbia. Na soberba o ser diz saber tudo, quando na verdade não sabe nada. O orgulho em excesso pode se transformar em vaidade, ostentação, soberba, sendo visto apenas então como uma emoção negativa: a Arrogância. No orgulho o ser age como se não dependesse de ninguém, é dominado pela vaidade. O creador como liga da alma e espírito no corpo é a combinação perfeita decorrente do plano no caminho. Não sabemos tudo, muito menos temos capacidade de viver sozinhos. Deus no barro o torna humano e ciente que precisa estar unido como um em Cristo pelo evangelho em beneficio da criação.

“Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade” (João 17:23)

O creador por Cristo através do Espírito aperfeiçoa a criação diariamente pelo evangelho. O evangelho é instrumento que religa a criação ao creador. Nele todo orgulho, soberba é vencido pela ação do fruto do espírito dia a dia, dando lugar a mentalidade do Reino, e isso é possível com a renovação da mente pela palavra. Na medida em que vamos caminhando somos libertos do ego-periferico adquirindo ego-consciente em Deus. Uma vida sem o encontro morre um pouco todos os dias, apenas almas vazias sem expectativa de vida, sem esperança de dias melhores. Viver sem amor é não conhecer a vida em Cristo. Nele a felicidade vai se construindo na medida em que vamos tomando consciência que somos nova criatura, feitura dele. Nele tudo se ajeita se alinha.

O mal da humanidade é regido pelo espírito do ant. cristo distanciando a criatura do creador pela inclinação das obras da carne. Não a soberba, não ao orgulho. Sim a vida, sim a dependência nele. Nele somos alunos da caminhada no caminho em direção à estatura de varão perfeito, crescendo de glória em glória em novidade de vida, andando e falando segundo Deus, oferecendo sacrifício vivo, recebendo de bom grado a boa, agradável e perfeita vontade do Eterno por Cristo. Ciente que nada separara do amor nele.  

Sejamos santificados em tudo pela palavra, irrepreensíveis em todo tempo nele, para glória dele. Conservando espírito, alma e corpo até a vinda de nosso Senhor Jesus.
  
Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará. (Lucas 9:24)... Que este verso esteja fixado na consciência, perder a vida para ganhar a vida, se perder para ser achado, nisso seremos guiados e redirecionado sempre que for preciso a luz de Cristo.

Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo. (1 Pedro 1:13)... Revestidos de entendimento, atentos, descansando nele na graça recebida pela revelação de Jesus o Cristo, religados a Deus pela graça.

Cezar Camargo
Elisabeth Camargo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Páscoa, a Cruz e a Redenção

Individuação, Alta Performance & Evangelho

RITMO CIRCADIANO - O CICLO BIOLÓGICO DOS SERES VIVOS