CARNAVAL FORA DA REALIDADE


O que se sabe é a festa carnavalesca surgiu a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-Feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma.

Então palavra "Carnaval" está desse modo, relacionada com a ideia de deleite dos prazeres da carne marcado pela expressão "carnis valles", que, acabou por formar a palavra "Carnaval", sendo que "carnis" em latim significa carne e "valles" significa prazeres. Em geral, o Carnaval tem a duração de três dias, os dias que antecedem a Quarta-Feira de Cinzas. Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação, estes dias são chamados "gordos", em especial a terça-feira (Terça-Feira Gorda, também conhecida pelo nome francês Mardi Gras). O termo mardi gras é sinônimo de Carnaval.

Segundo dados do universo online(UOL) a Carnaval do Brasil é a maior festa popular do país. A festa acontece durante quatro dias (que precedem a quarta–feira de cinzas). O último dia de Carnaval precede a quarta-feira de cinzas (início da Quaresma). Comemorado em Portugal desde o século XV,1 o entrudo foi trazido pelos portugueses para a então colônia do Brasil e em finais do século XVIII1 era já praticado por todo o território. Consistia em brincadeiras e folguedos que variavam conforme os locais e os grupos sociais envolvidos. Com a mudança da corte portuguesa para o Rio de Janeiro, surgiram às primeiras tentativas de civilizar a festa carnavalesca brasileira, através da importação dos bailes e dos passeios mascarados parisienses, colocando o Entrudo Popular sob forte controle policial. A partir do ano de 1830, uma série de proibições vai se suceder na tentativa, sempre infrutífera, de acabar com a festa grosseira.

Em finais do século XIX, toda uma série e grupos carnavalescos ocupam as ruas do Rio de Janeiro, servindo de modelo para as diferentes folias. Nessa época, esses grupos eram chamados indiscriminadamente de cordões, ranchos ou blocos. Em 1890, Chiquinha Gonzaga compôs a primeira música especificamente para o Carnaval, "Ô Abre Alas!". A música havia sido composta para o cordão Rosas de Ouro que desfilava pelas ruas do Rio de Janeiro durante o carnaval. Os foliões costumavam frequentar os bailes fantasiados, usando máscaras e disfarces inspirados nos bailes de máscaras parisienses. As fantasias mais tradicionais e usadas até hoje são as de Pierrot, Arlequim e Colombina, originárias da commedia dell'arte.

Olha só a festa de Carnaval em média vai custar R$ 172,3 milhões aos cofres públicos das 26 capitais e do governo do Distrito Federal, segundo levantamento feito pelo UOL. O valor inclui os gastos com infraestrutura, cachês de artistas, festas, publicidade, pagamentos extras a servidores e transferências a agremiações e blocos. Aracaju foi à única prefeitura que não informou gastos ou estimativas. O dinheiro investido equivale, por exemplo, a um conjunto habitacional do "Minha Casa, Minha Vida 2" com 3.122 casas (cada unidade tem valor definido pelo governo federal de R$ 55.188). Somente nos quatro principais polos de folia --Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Salvador-- as prefeituras têm previsão de gastar R$ 130,9 milhões, valor que representa 76% dos gastos totais.

Algumas Prefeituras afirmam que o valor gasto é compensado pela vinda de turistas para as cidades e o movimento que eles geram na economia local. Somente Rio de Janeiro, Salvador e Recife estimam movimentar mais de R$ 3 bilhões durante os dias de folia. Segundo estudo do Ministério do Turismo, o Carnaval 2013 deve movimentar R$ 5,7 bilhões em todo o país --R$ 200 milhões a mais que no ano passado.

A Prefeitura que informou maior gasto no país com o Carnaval foi a do Rio de Janeiro, com investimento aproximado de R$ 35 milhões. Os recursos são distribuídos entre as escolas de samba, blocos de rua, shows, bailes, entre outros eventos. A estimativa é que as festividades rendam cerca de US$ 665 milhões (R$ 1,3 bilhão) de receita para a cidade. Segundo a Riotur (Secretaria de Turismo), aproximadamente 6 milhões de pessoas devem aproveitar o Carnaval na capital fluminense, dos quais 900 mil turistas. 

Apesar de não estar entre as capitais com Carnaval mais tradicional, São Paulo terá o segundo maior investimento na folia no país. Este ano, o valor gasto pela prefeitura será de mais R$ 30 milhões. Desse total, R$ 23,9 milhões vão para ajudar as 78 escolas de samba e blocos cadastrados pela prefeitura. Outros R$ 10 milhões serão gastos com a infraestrutura da festa.

Em campinas onde moro a Prefeitura vai fazer Carnaval com custo reduzido no Centro e nos bairros, Por medida de redução de custos, estimados em mais de R$ 2 milhões, o Carnaval de Campinas 2015 deixa de ser realizado na Estrada dos Amarais e terá programação no Centro da cidade e no Campo Grande, na Vida Nova, no São Marcos e no Campo Belo. De acordo com o secretário de Cultura, Ney Carrasco, com a reformulação adotada pela Prefeitura de Campinas, a festa terá custo total de R$ 1,3 milhões. “Tivemos um ano difícil em 2014 e não sabemos como vai se comportar a economia em 2015, por isso decidimos manter o Carnaval, mas fazer a festa com austeridade. Vamos realizar um Carnaval bem festivo, com custo total de pouco mais de R$ 1 milhão”, declarou.

Enquanto isso a realidade é outra, a vida continua, não sou contra o CARNAVAL, nunca me simpatizei, respeito às opções de cada um. Mas diante de tantas incertezas o momento é de rever conceitos, reavaliar opiniões, reformatar a mente, readquirir consciência cidadã. Temos problemas maiores que precisa ser questionado, debatido até chagar um senso comum. O Brasil precisa urgente de um choque de realidade. Parce que todo mundo ficou Zumbi ficado, foi às ruas por 20 centavos e pelos seus direito se cala. Hummm mas tem um agravante eles mesmos elegeram o atual governo então...


A educação no Brasil ocupa o 53º lugar em educação, entre 65 países avaliados (PISA). Segundo Eliane da Costa Bruini, Colaboradora Brasil Escola, Graduada em Pedagogia, pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo – UNISAL. Mesmo com o programa social que incentivou a matrícula de 98% de crianças entre 6 e 12 anos, 731 mil crianças ainda estão fora da escola (IBGE). O analfabetismo funcional de pessoas entre 15 e 64 anos foi registrado em 28% no ano de 2009 (IBOPE); 34% dos alunos que chegam ao 5º ano de escolarização ainda não conseguem ler (Todos pela Educação); 20% dos jovens que concluem o ensino fundamental, e que moram nas grandes cidades, não dominam o uso da leitura e da escrita (Todos pela Educação). Professores recebem menos que o piso salarial (et. al., na mídia).  

Fontes da agencia do Brasil o mapa mostra aumento e disseminação da violência no Brasil. Em dez anos, o número total de homicídios no País passou de 49.695 para 56.337. O número equivale a 58,1 habitantes a cada grupo de 100 mil, e são o maior da série histórica do estudo, divulgado a cada dois anos. Enquanto que é o principal problema apontado por brasileiros, diz Datafolha. Pesquisa aponta que 45% da população identifica a saúde como principal deficiência do país, cifra que é maior que a soma dos cinco outros problemas mais apontados.  

Mal crônico da saúde pública brasileira, falta de recursos exige tratamento intensivo. A falta de comprometimento da União com aumento de investimentos, incentivos a planos privados que não dão conta do atendimento e até preconceito afetam o maior sistema de saúde do mundo.  Entre os 2.418 entrevistados pelo Datafolha, das cinco regiões do país, pelo menos 30% aguardam ou têm familiares aguardando marcação de consulta ou realização de procedimento no SUS. Apenas 24% dos entrevistados conseguiram realizar consultas, exames, internações ou cirurgias em menos de um mês. Do total, 47% esperam até seis meses e 29% aguardam há mais de seis meses, sendo que pelo menos metade desse grupo está na fila há mais de um ano. 


Segundo o G1, mesmo com chuvas, Sistema Cantareira tem 4ª alta em seu volume na semana. Chuvas elevam níveis de mais cinco sistemas que abastecem a Grande SP. Resultado deste sábado (7) é devido às chuvas. Com as chuvas, o Sistema Cantareira, que destina água a 6,2 milhões de pessoas na Região Metropolitana de São Paulo, teve a quarta alta significativa em seu volume. Neste sábado (7), o índice subiu de 5,4% para 5,6%, segundo boletim da Sabesp divulgado no site. Além disso, os outros cinco sistemas que abastecem a Grande São Paulo receberam chuvas nesta semana, o que contribuiu para que tivessem altas em seus volumes neste sábado.

Então vamos lá, educação, saúde, água e segurança esta um caos, não só no Brasil mais em grande parte do planeta. Não vejo motivos para passar esses dias fora da realidade.  O mundo está em pé de guerra. Um grupo radical deseja criar um governo próprio no Oriente Médio. O autoproclamado Estado Islâmico tem espalhado o terror pela Síria e Iraque, e a tendência é se espalhar se alguma coisa de maior significância não for feito. 

As mudanças aconteceram se nos unirmos em um só espírito. Segundo Paulo Iász de Morais membro do Comitê de Gestão do LIDE - Grupo de Líderes Empresariais. O ano de 2.015 será o portal indicativo do rumo que o Brasil seguirá a partir de então, e poderá ser relevante para os resultados que todos poderão alcançar nos anos seguintes. Ansiedade nesse momento não faltará, mas uma coisa é certa, serão tempos de muito trabalho e enormes desafios. Precisamos chegar a um ponto de decisão, um momento de não se pode deixar passar. A questão não partidária é o povo, eu você que não estamos escolhendo como deveria.

O Carnaval do Brasil é a maior festa popular do país, isto é fato, mas este tempo não pode ser esquecido afinal o futuro depende do que é feito no hoje. Enquanto uns festejam a desigualdade se insta-la, enquanto milhões vai pro ralo com fantasias e apetrechos, milhões de brasileiros luta o mês inteiro para cuidar de suas famílias. A alta dos juros, gasolina, luz de forma significativa alterará a rotina dos trabalhadores. Para ter uma ideia dê uma olhada na sua nota fiscal depois de realizar suas compras.  


Estamos vivendo uma crise politica como nunca antes. Vivemos uma crise política no Brasil? Resposta por Rodrigo Manoel Dias da Silva; Talvez sim, dependendo do que entendemos por crise. Mas isto que reincidentemente nomeamos por “crise”, por vezes é apenas a manifestação de nossa incapacidade de definirmos o espaço político no qual habitamos, que rapidamente passou a ser múltiplo, contingente e não-universal. E nestes deslocamentos contemporâneos de significação, como escreveu Ernesto Laclau, os tensionamentos em torno da corrupção são a expressão de um dos tantos antagonismos deste campo político e, muito menos, indicativo de uma patologização da política ou da democracia. Pois, de fato, apologias à corrupção em nossa cultura política podem revelar certo saudosismo daqueles tempos que a Política era “boa” e para poucos.

Que tenhamos mais consciência cidadã, responsabilidade social, com a vida, com o próximo. Que Deus nos dê sabedoria e discernimento em todo tempo.

Cezar Camargo
Verão – fevereiro\2015 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Páscoa, a Cruz e a Redenção

Individuação, Alta Performance & Evangelho

RITMO CIRCADIANO - O CICLO BIOLÓGICO DOS SERES VIVOS